quarta-feira, 29 de maio de 2013

The Pink Track


-------------------------

E hoje é dia de soundtrack!

O The Pink Track veio da nossa mania de ler ouvindo música e atribuir elas aos personagens.
-------------------------

Qual vai ser o livro da semana? Tantantantan!
Dessa vez escolhi o livro "Lola e o Garoto da Casa ao Lado", 
Vamos conferir a trilha sonora que nós montamos para ele?


#CONTÉM SPOILER


1. Season of Love - Shiny Toy Guns

Amo o início dessa música, por isso ela está no topo da playlist! Ela fala sobre a mudança quando o amor acontece, e como ele pode estar bem ali dentro quietinho até que de repente muda tudo! Escolhi ela para marcar a volta de Cricket a vida de Lola, ela achava que havia superado toda a história entre os dois, mas com o inesperado retorno da família Bell não vai ser tão fácil esquecer Cricket, principalmente porque ele não quer ser esquecido.

"Talvez esta em toda a parte para ver se nós tentarmos
e talvez tenha estado dentro de mim todo este tempo.
Amor, Amor, Amor"

2. The Show - Lenka

Acho essa música a cara da Lola! Com a volta de Cricket ela está confusa sem saber onde seu coração está, seu primeiro amor o garoto que mora na casa ao lado, ou astro de rock Max? Mas, as dúvidas de Lola não se resume somente ao amor, ela também tem que enfrentar sua mãe biológica voltando a sua vida e ainda tentando conhecer a si mesma, quem é Lola Nolan.

"Just enjoy the show"

3. The Man Who Can't Move - The Script

Eu amo essa música. É tão linda! A escolhi por que fala de um garoto que não consegue seguir em frente. Depois de dois anos separados Cricket ainda gosta de Lola, e faz de tudo por ela. Seria a trilha certa para o momento na loja de CD's.


"I know it makes no sense but what else can I do
How can I move on when I'm still in love with you"
4. The Girl - City and Colour

Essa é uma das minhas músicas favoritas! Ela é uma linda declaração e achei que seria algo que Cricket cantaria para Lola. Como eu disse na resenha, gosto do fato de Cricket não ter ficado enrolando e ter dito logo seus sentimentos por ela, ele é tão fofo! Cricket <3

5. Me Voy - Jesse y Joy

Escolhi essa para Max e Lola. Não darei muitos detalhes pra não soltar spoilers demais, mas, em uma das cenas finais quando ela vai atrás dele para conversar sobre os últimos acontecimentos e deixar tudo claro, Max é um completo grosso! Então, musiquinha From: Lola To: Max.

"Trágate toditas tus mentiras,
Búscate otra niña con la ilusión
Yo encontré algo mejor"


6. No One's Gonna Love You - Band Of Horses

Outra das minhas musiquinhas favoritas! Essa é outra linda declaração, enquanto eu lembrava de uma das minhas cenas favoritas do livro pensei que essa seria a música perfeita pra deixá-la mais fofa ainda!
"- Então, você acredita em segunda chance? - Mordo o lábio.
- Segunda, terceira, quarta. O que for preciso. Por mais tempo que leve. Se for a pessoa certa - ele acrescenta.
- Se essa pessoa for... a Lola?
Dessa vez ele retém meu olhar.
- Só se a outra for o Cricket." - pág.231

7. 1,2,3,4 - Plain White T's 

Se "Lola e o Garoto da Casa ao Lado" ganhasse uma versão cinematográfica eu escolheria essa música para a cena de Lola e Cricket a caminho do baile. Cena super fofa merece trilha super fofa!

"I'm so glad that I found you.
I love bein around you.
You make it easy,
as easy as 1, 2 (1, 2, 3, 4)
There's only 1 thing 2 do 3 words 4 you.
I love you."
8. [Bônus Track] Love is easy - McFly

Não podia deixar a Anna e o St. Clair sem aparecer por aqui. Alguém mais amou o fato deles aparecerem no livro? Escolhi essa música pra compôr a faixa bônus desse soundtrack baseada nas cenas do nosso deles nesse livro e em uma das falas que St. Clair diz para Lola. 
"Quando você sente que é a coisa certa, é moleza." -pág. 89 
---------------------------------------------------------------------------------------
No mês de Maio está rolando Top Comentarista! Comentou no post? Então clique nesse selinho e preencha o formulário!

segunda-feira, 27 de maio de 2013

[Entrevista] J. A. Redmerski, autora de "Entre o Agora e o Nunca"

[Logo abaixo da versão traduzida da entrevista vocês podem conferir a versão original em inglês] 
[Bellow the tranlated version of the interview you can check the original english version]

Muito chique minha gente!
Olha só quem é nossa entrevistada de hoje... J. A. Redmerski! Sim, sim, sim! A autora de "Entre o Agora e o Nunca" arranjou um tempinho pra gente e foi super simpática e atenciosa ao falar de seu trabalho de deixar um recadinho para os fãs brasileiros. Confiram!



Verbologia Pink - Em "Entre o Agora e o Nunca" os protagonistas se conhecem em um Greyhound. De onde surgiu a ideia de colocar Cam e Andrew em um ônibus?

J. A. Redmerski - Eu realmente já andei muito nos ônibus Greyhound e até mesmo escrevendo, era inevitável que Camryn iria acabar em um também. A viagem de ônibus,  embora longa e desgastante, é uma forma diferente para qualquer pessoa de estar consigo mesma, principalmente se for sozinha.


Verbologia Pink - Muitas meninas estão apaixonadas pelo Andrew aqui no Brasil. Você imaginou que sua história iria agradar e alcançar tantas pessoas no mundo todo?

J. A. Redmerski - Eu mesma me apaixonei pelo Andrew, e fui eu quem o criou :-) Eu realmente não tinha ideia de que Andrew, ou "Entre o Agora e o Nunca" seria amado por tantas pessoas. Eu esperava que as pessoas gostassem da história, da maneira como a contei, mas não imaginava o alcance que ela teria.


Verbologia Pink - No livro, você aborda questões como o câncer, bebida e direção e morte. Qual é a importância de lidar com assuntos mais sérios com o público YA?

J. A. Redmerski - Bem, "Entre o Agora e o Nunca" está no gênero YA , voltado para leitores de aproximadamente 18-25 e eu acho que é um momento crucial na vida de uma pessoa, quando questões como a embriaguez ao volante, por exemplo, são mais que um risco. Eu não tinha a intenção de dar lições ou focar essas questões quando escrevi "Entre o Agora e o Nunca",  mas se alguém guardou algo dele em seu coração, então isso é bom. Tanto quanto as questões com a morte e a doença, que não creio que sejam tópicos voltados só pra essa idade.


Verbologia Pink -Nós vimos a capa (maravilhosa) de "The Edge of Always" e estamos ansiosos por qualquer informação! Você pode dizer algo? Só um pouquinho?

J. A. Redmerski - Há um trecho do sneak peak flutuando na blogosfera, que é realmente a única coisa que  posso revelar agora. Eu vou dizer, porém, que em "The Edge of Always" há, definitivamente, muito mais da diversão aventureira e sexy de Camryn e Andrew que no primeiro livro!  :-)


Verbologia Pink - Para terminar, os seus fãs no Brasil estão ansiosos pelo segundo livro e uma mensagem sua. O que gostaria de dizer aos nossos leitores que acompanham seu trabalho?

J. A. Redmerski - Eu quero dizer que me mantive fiel com Camryn e Andrew na sequência e permiti que eles vivessem livres, mesmo ao lidar com a dor e o sofrimento. Espero que o ditado: "Os casais que se destinam a ficar juntos são os que passam por tudo o que é feito para separá-los e saem ainda mais fortes do que eram antes" (Autor desconhecido), realmente venha à mente das pessoas que forem ler"The Edge of Always" :-)


-------------------------------------------------------------


[Versão Original]

Very chic people!
Look who is our interviewee today ... J. A. Redmerski! Yes, yes, yes! The author of  "The Edge Of Never" got a little time for us and was super friendly and helpful to talk about their work leaving a wink to the Brazilian fans. Check it out!


Verbologia Pink - In "The Edge Of Never" the protagonists are known on a Greyhound. Where did the idea of putting Cam and Andrew on a bus?

J. A. Redmerski - I've actually rode on a Greyhound bus many times and I guess as I was writing, it was inevitable that Camryn would end up on one too. A bus ride, while although long and exhausting, is a strange way for any person to be at one with themselves, especially when you set out on one alone.


Verbologia Pink - Many girls are in love with Andrew here in Brazil. You imagined that your story was pleasing and reach people around the world?

J. A. Redmerski - I fell in love with Andrew as I wrote him! :-) I really had no idea that Andrew, or THE EDGE OF NEVER would be loved by so many people. I had hoped the story would catch on and people would enjoy it as much as I did as I wrote it, but I never imagined the scale of success the book has had.


Verbologia Pink - In the book, you address issues such as cancer, driving inebriates and death. What is the importance of dealing with more serious topics with the young adult audience?

J. A. Redmerski - Well, THE EDGE OF NEVER is in the New Adult genre, targeted for readers of approximately 18-25 and I think that is a crucial time in a person's life when issues like drunk driving, for example, are more of a risk. I didn't set out to teach any lessons or to preach issues when I wrote THE EDGE OF NEVER, but if someone took something from it to heart then that's good. As far as issues with death and disease, I don't think those are really age-specific in any sense.


Verbologia Pink - We've seen the cover (wonderful) "The Edge of Always" and look forward to any information! Can you tell, just a little?

J. A. Redmerski - There is a sneak peak excerpt floating around the blogosphere and that's really the only thing I can reveal right now. I will say, however, that in THE EDGE OF ALWAYS there will definitely be more of the fun-loving, adventurous and sexy Camryn and Andrew like everyone read in the first book! :-)


Verbologia Pink - To conclude, your fans in Brazil are looking forward to the second book and a message. What I would tell people here that accompany your work?

J. A. Redmerski - I want to say that I stayed true to Camryn and Andrew's characters in the sequel and allowed them to live free while dealing with pain and hardship. I hope that the saying: "The couples that are meant to be are the ones who go through everything that is meant to tear them apart and come out even stronger than they were before." (author unknown), really comes to mind when people read THE EDGE OF ALWAYS. :-)

~~~~

Contact Jessica/ Redes sociais e site:
@JRedmerski
http://jessicaredmerski.com/
Facebook


---------------------------------------------------------------------------------------
No mês de Maio está rolando Top Comentarista! Comentou no post? Então clique nesse selinho e preencha o formulário!

sábado, 25 de maio de 2013

NOVIDADE: Reveladas a capa, a sinopse e a data de lançamento de "The Edge of Always"


Olha que linda a capa de "The Edge of Always", sequência de "Entre o agora e o Nunca" (SUMA), dessa vez com o Andrew *o*
Esperamos ansiosos a chegada do livro no Brasil, nos EUA a data de lançamento é cinco de Novembro. Enquanto roemos as unhas, que tal ler a sinopse? A tradução é da equipe do blog.

"Ele estava percorrendo um longo caminho. Ela estava pegando a estrada para lugar nenhum. Até que se encontraram mesmo lugar ... 

Cinco meses atrás, Camryn e Andrew, que estavam enfrentando seus próprios problemas, se encontraram em um ônibus Greyhound. Eles se apaixonaram e descobriram que, se duas pessoas estão destinadas a ficar juntas, o destino se encarrega de que isso aconteça. Agora, na aguardada sequência de Entre o Agora e o Nunca, Camryn e Andrew estão unidos por seu amor pela música e buscando viver a vida ao máximo, como sempre juraram fazer. Mas, quando uma tragédia se abate sobre eles, sua relação é posta à prova final. Enquanto Camryn tenta anestesiar sua dor, Andrew toma uma decisão ousada: para obter a sua vida de volta aos trilhos, eles vão sair em outra viagem pelo país. Juntos, eles encontram emoção, paixão, aventura e os desafios que nunca poderiam ter previsto. Sexy. Ousado. Perigoso. The Edge of Always leva você em um passeio que você não vai esquecer"

Uma palavra: UAU!


---------------------------------------------------------------------------------------
No mês de Maio está rolando Top Comentarista! Comentou no post? Então clique nesse selinho e preencha o formulário!

Entre o Agora e o Nunca ~ J. A. Redmerski

Editora: Suma das Letras
Páginas: 368
Gênero: Romance/Drama
Título Original: The Edge of Never
Classificação:

Camryn Bennett é uma jovem de 20 anos que desistiu do amor desde que Ian, seu namorado, morreu num acidente de carro há um ano. Sua melhor amiga, Natalie, é a única capaz de animá-la. Mas a relação entre as duas fica abalada quando o namorado de Nat revela à Camryn que está apaixonado por ela. Perdida, sem saber o que fazer, Camryn vai para rodoviária e pega o primeiro ônibus interestadual, sem se importar com o destino. Com uma carteira, um celular e uma pequena bolsa com alguns itens indispensáveis, Camryn embarca para Idaho. Mas o que ela não esperava era conhecer Andrew Parrish, um jovem sedutor e misterioso, a caminho para visitar o pai, que está morrendo de câncer. Andrew se aproxima da companheira de viagem, primeiro para protegê-la, mas logo uma conexão irresistível se forma entre os dois. Camryn tenta lutar contra o sentimento, já que jurou nunca mais se apaixonar desde a morte de Ian. Andrew também tenta resistir, motivado pelos próprios segredos. 
--------------------
Estou encantada.
Acabo de ler "Entre o Agora e Nunca" da J. A. Redmerski, e amei essa história tão doce e emocional.
Desde o primeiro capítulo me encantei com a narrativa, que nos aproxima muito de Cam e Andrew. Dá aquela sensação de que você é um amigo dos dois e que os escutam contando uma história. Uma história sobre uma viagem não planejada e de descobertas inusitadas, que trouxe grandes mudanças e surpresas.
Achei muito legal a ideia de Jessica (o J. da autora é de Jessica! (:) de dar partida (sem trocadilhos) na história de dentro de um Greyhound, com duas pessoas aleatórias tendo suas vidas ligadas uma à outra. Lindo!
"Tudo fica quieto de repente, e é o primeiro momento de silêncio que ambos notamos. Me pergunto se ele está pensando a mesma coisa que eu, curioso a meu respeito e querendo fazer perguntas, como estou curiosa sobre muitas coisas nele. É um daqueles momentos que são inevitáveis, e que quase sempre marcam a fase quem que duas pessoas começam a se conhecer de verdade." - pág 132
Tudo começa quando Camryn acha que é o fim. Sua família está em pedaços, sua melhor amiga pensa que ela é uma traíra e ela simplesmente não consegue se encaixar no mundo. Cam sente aquela sensação claustrofóbica de que não pode continuar onde está. Por sentir isso de vez em quando, me identifiquei muito com a cena em que nossa protagonista faz as malas às pressas e ruma mundo à fora. Intenso. Verdadeiro.
É nesse momento que ela entra no ônibus, e quando, em pleno Kansas, Andrew entra na vida de Cam.
E eu achei a visão de Andrew dos fatos tãããão deliciosa. Os dois têm segredos. Ambos têm medo do que nasce entre eles.
Camryn está ferida pela perda e pelas inseguranças. Andrew está indo enterrar seu pai e tem grandes segredos por trás de um belo sorriso. E que dupla!
Estou encantada.
Estou encantada.
Estou encantada.
"Olho tanto para ela que esqueço completamente que está chovendo." - pág. 189
A narrativa de Redmerski é emotiva e explicita, delicada e crua. Há algumas cenas de vocabulário forte e muito diretas, porém, embora não sejam minhas favoritas, não atrapalharam o andamento da história e muito menos me fez gostar menos do trabalho da autora.
Temos uma angústia por liberdade que vem das páginas, além de uma vontade imensa de viver da forma mais livre. Não a libertinagem, pregada por muitos, mas o desejo puro e simples de não ter rotina e mudar quem se é. Na hora que desejar.
O casal é tão envolvido que não temos muito espaço para outros personagens. Acho que foi proposital. Andrew e Cam estão sozinhos em  quase todas as cenas, mas você acaba por não sentir falta de mais gente. Sério. Eles são tão legais que não precisamos de mais ninguém! (:
Andrew é um príncipe boca porca e doidão.
Eu o amei demais.
"- Apenas que ficar se prendendo e planejando é besteira - ele diz. - Se você fica se prendendo no passado, não consegue seguir em frente. Se passa muito tempo planejando o futuro, você se empurra pra trás ou fica estagnada no mesmo lugar a vida toda. - Seus olhos encontram os meus. - Viva o momento - ele diz, como se estivesse dizendo algo sério - aqui, onde tudo está certo, vá com calma e limite suas más lembranças e você chegará ao seu destino, seja qual for, muito mais rápido e com menos acidentes de percurso." - pág. 77
Os diálogos são rápidos e inteligentes, deixaram a história ainda mais empolgante. Há uma ligação muito forte dos personagens com música, os clássicos do rock e tudo mais, que achei superbacana para a história.
Percebi, como muita gente, umas derrapadinhas básicas e uma bem leve (eu disse beeeeeeeeem leve) semelhança com algumas coisas de Belo Desastre, mas nada que seja digno de críticas. A única coisa que realmente me deixou meio assim foi o final muito acelerado, mas isso foi perdoado quando descobri... TEMOS UMA SEQUÊNCIA!
Então, em suma, eu amei o livro. Tem aquelas coisinhas que de vez em quando a gente queria diferente, mas isso é normal... e ele continua valendo cinco estrelas.




UPDATE:
Em "Entre o agora ou nunca" temos umas dicas musicais bem bacanas, mas nenhuma música combinou mais do que Poison and Wine do The Civil Wars. Então, curtam aí pra entrar no clima do amor de Cam e Andrew (:




---------------------------------------------------------------------------------------
No mês de Maio está rolando Top Comentarista! Comentou no post? Então clique nesse selinho e preencha o formulário!

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Our Friend #14

Essa é a sessão do blog onde vocês irão encontrar as últimas novidades sobre nossos amigos autores. Para ler notícias anteriores basta entrar na página "autores amigos" onde vai encontrar o link. Siga também nossa lista "Autores Amigos" no twitter! (http://bit.ly/nOBNLy)

Olha que coisa mais fofa!


Essa é a capa do novo livro da nossa amiga Carol Sabar!
Dá uma olhadinha na sinopse de Azar o Seu!, que promete ser mais um sucesso da autora, e inclua o livro na sua meta de leitura ;)
"Parada num engarrafamento no Rio de Janeiro, Bia está pensando em sua vida azarada. O motorista do carro ao lado, tenta se comunicar com ela, mas Bia não o reconhece. Então, ele sai do carro, mas não tem tempo de se explicar, pois começa um violento tiroteio e eles se jogam lado a lado no asfalto. Certa de que está prestes a morrer, Bia entra em desespero e se prepara para dizer suas últimas palavras, na esperança de que o suposto desconhecido possa levar um recado a Guga, seu amor da adolescência, sem perceber que é ele próprio que está ali, ouvindo a inesperada declaração de amor! Os dois escapam juntos do tiroteio e, a partir daí, começam a se envolver, dia após dia. Guga, sem coragem de assumir sua verdadeira identidade, e Bia, feliz consigo mesma por finalmente estar se apaixonando por alguém que não é Guga. Nunca uma maré de azar foi tão engraçada!"
 ---------------------------------------------------------------------------------------
No mês de Maio está rolando Top Comentarista! Comentou no post? Então clique nesse selinho e preencha o formulário!

quinta-feira, 16 de maio de 2013

A Luz através da Janela ~ Lucinda Riley

Editora: Novo Conceito
Páginas: 544
Gênero: Romance/Drama
Título Original: The Light Behind The Window
Classificação:


A Segunda Guerra Mundial deixou muitos destroços e segredos familiares principalmente na família de Emilie, os De La Martinières. Quando sua mãe faleceu, deixando o legado do château da família para ela, a única herdeira, Emilie fica devastada e quer vender tudo para que possa voltar à sua rotina comum de veterinária. Entretanto, Sebastian Carruthers aparece em sua vida para ajudá-la a cuidar de toda a documentação e a consola nos momentos mais difíceis. Emilie se apaixona pela sua gentileza e decide se casar com ele. Assim, ela se muda para a casa do marido, Blackmoor Hall, em Yorkshire. Contudo, a vida que ela, ingenuamente, pensa estar começando bem, trará a ela muitas surpresas e revelações do presente e do passado de toda uma geração. 
"Era uma estrada que não a levaria a lugar algum. Emilie decidira, há anos, que era melhor viver a vida sozinha. Dessa maneira, ninguém poderia magoá-la ou decepcioná-la novamente. E, com esse pensamento firmemente entrincheirado em sua mente, conseguiu adormecer." -pág. 53
Depois de ler "A Casa das Orquídeas",  criei grande expectativa de ler outro livro da Lucinda Riley. Quando comecei a ler "A Luz através da Janela" estava empolgada com a leitura, mas acabei deixando o livro por algumas semanas no início dele, porque ganhei um livro que estava ainda mais interessada em ler. Mas, quando retomei me peguei lendo ele a todo momento! Não consegui largar até desvendar todo o mistério envolvendo os De la Martinières.

A história é dividida em duas épocas que no decorrer da narrativa se intercalam, o tempo atual, no qual Emilie  tenta lidar com uma grande reviravolta em sua vida, e a época da segunda guerra mundial, quando Édouard, Sophia e Constance enfrentavam os terrores deste grande conflito na França.

Emilie é uma veterinária que espera apenas poder ter uma vida simples, totalmente diferente de sua mãe, Valérie De la Martinières, que levava uma vida glamourosa e aparentemente tão ocupada que parecia não ter um lugar para ela. Mas, com a morte de Valérie, ela se torna herdeira de todo o patrimônio dos De la Martinières. Com tudo acontecendo tão de repente em sua vida e sem saber como agir, Emilie gostaria que alguém pudesse socorrê-la. Ela acaba se casando com Sebastian, um homem prestativo e carinhoso. Mas, será que ela realmente o conhece? Será que não foi uma decisão precipitada? Ela vai morar com ele na velha propriedade da família, na Inglaterra. Lá, Emilie descobrirá que a vida de seu marido também contém muitos segredos, incluindo um irmão mais novo, Alex, que aparentemente não é o problemático, egoísta que Sebastian insistia em alertá-la. Mesmo que as coisas estejam ainda mais conturbadas em sua vida ela terá que tomar uma séria decisão: O que fazer com o château, o lugar onde passou toda a sua infância? Simplesmente vênde-lo? parecia a melhor ideia para Emilie, até que ela começa a conhecer a verdadeira história de sua família, uma história cheia de marcas profundas que deixaram consequências que afetarão o presente.
"Os residentes do château De la Martinières despertaram com a alvorada da região de Provença. Aqueles que estavam acima do nível do solo andavam de um lado para o outro nervosamente, os que estavam abaixo também sentiam medo, temendo o sol que subia no céu." - pág.425
Constance Carruthers é uma mulher inglesa que é recrutada pela SOE para servir na França, pensando que seu marido está morto ela decide aceitar a proposta. Connie é treinada, ganha uma nova identidade e se muda para Paris. Porém, a rede que a apoiaria no país foi descoberta e ela é forçada a abandonar todo seu plano. Seguindo as instruções do plano B, dada pelos agentes ingleses, ela parte a procura do "Herói",  nome pelo qual Édouard, o pai de Emilie, conde De la Martinières, é conhecido. Contudo, o que poderia parecer um alívio para Connie, ser acolhida por uma família de prestígio, se torna surpreendentemente arriscado. Èdouard na verdade está envolvido em algo extremamente perigoso por manter amizades com os inimigos para descobrir seus planos. Assim, Constance se junta a família mais uma vez sendo totalmente afastada de sua realidade, sem poder contar a ninguém onde está, nem mesmo aos seus companheiros agentes. E, logo quando o esquema da família é desmascarado, começa o tempo de fuga, insegurança e medo para todos os De la Martinières,  ainda mais com o romance entre Federick um oficial alemão e Sophia a jovem e bela irmã de Èdouard.
"- Casa... - Connie sussurrou. Uma palavra simples que resumia tudo o que mais desejou naqueles últimos dezoito meses."- pág. 452
Com cenas fortes, essa parte da história me deixou apreensiva em vários trechos enquanto conhecia o passado cheio de complicações e segredos dos De la Martinières  Os poemas escritos por Sophia dão um toque a mais na história, um pouco de beleza e ao mesmo tempo de tristeza. Nos fazem conhecer o ponto de vista de Sophia da história, e isso foi importante pra que eu construísse minha opinião sobre a personagem.

O enredo me prendeu bastante. Gosto quando a história me faz especular mil vezes o final, quando tudo não é tão óbvio. Torci até o fim pelos personagens que gostei, fiquei revoltada com a crueldade de um certo personagem e não consegui ler uma parte muito forte do livro, quando vocês lerem irão entender. Mas, o livro também fala sobre perdão, amizade e amor verdadeiro. Então, preparem seus lencinhos!






---------------------------------------------------------------------------------------
No mês de Maio está rolando Top Comentarista! Comentou no post? Então clique nesse selinho e preencha o formulário!

quinta-feira, 9 de maio de 2013

NOVIDADE: Capa linda de MVFS2 :)

Mais uma capa linda para a coleção de Paula Pimenta!
Olha que fofinha a capa da 2ª Temporada de "Minha vida fora de série" *o*


---------------------------------------------------------------------------------------
No mês de Maio está rolando Top Comentarista! Comentou no post? Então clique nesse selinho e preencha o formulário!


NOVIDADE: Allegiant agora tem capa oficial!

Olha que coisa linda minha gente!
O último livro da série Divergente já tem sua capinha oficial *--* Quem curte?


---------------------------------------------------------------------------------------
No mês de Maio está rolando Top Comentarista! Comentou no post? Então clique nesse selinho e preencha o formulário!

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Free Four ~ Veronica Roth (Divergente 1.1)

*contém spoilers de Divergente*


Acabo de ler esse presente da Rocco para os fãs da série Divergente e estou tipo:
AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH! EU QUERO MAAAAAAAAIS!
Você pode conferir o ponto de vista de Quatro para o capítulo 13. Se você ainda não leu Divergente... vá ler pelamor! No conto disponibilizado pela editora, temos a famigerada cena das "facas ao alvo", além de pequenos comentários deliciosos de Tobias sobre seus sentimentos por Tris e seu passado. Para arrasar o coração dos fãs...

---------------------------------------------------------------------------------------
No mês de Maio está rolando Top Comentarista! Comentou no post? Então clique nesse selinho e preencha o formulário!

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Destrua-me ~ Tahereh Mafi

Editora: Novo Conceito
Páginas: 70
Gênero: Distopia
Título Original: Destroy Me
Classificação:

Em Estilhaça-me, Juliette escapou do Restabelecimento seduzindo Warner e colocando uma bala em seu ombro. Mas ela vai aprender em Destrua-me que não será fácil escapar de Warner... De volta à base e se recuperando do quase fatal ataque, Warner fará tudo o que estiver ao seu alcance para manter seus soldados em alerta e suprimir qualquer menção de rebelião em seu setor. Ainda obcecado por Juliette, sua prioridade é achá-la, trazê-la de volta e ter de volta Adam e Kenji, os dois traidores que ajudaram-na a escapar. Mas quando o pai de Warner, o Supremo Comandante do Restabelecimento, chega para reparar os erros do filho, fica claro que ele tem planos muito diferentes para Juliette. Planos que Warner simplesmente não aceita.
--------------------------
Para quem lê esse blog há um tempinho não é novidade meu amor por essa série e pela maravilinda Tahereh Mafi. Quero dizer, essa mulher é um gênio de véu *--* além de ser linda mesmo
E não é que D. Mafi conseguiu uma proeza gigante com uma criatura chata que nem eu? 
Mudar minha opinião não é fácil... e ela não conseguiu! hahaha! Sim, não conseguiu, mas meio que me fez ver as coisas de uma nova perspectiva. 
Em minha resenha do melhor livro de 2012 Estilhaça-me usei as seguintes palavras para descrever o vilão (?) Warner:
"Temos também o vilão da história, que tem conquistado alguns corações, mas que a mim só deu nojo. Seu nome é Warner. Ele é odioso e nojento, como todo bom vilão." ~ eu, na resenha
Aqui está a pequenina, porém significativa, mudança de pensamento: Warner não é tão mal assim.
E, se você é uma Team Adam (meio The Voice isso) de coração, como eu, talvez devesse também dar à Warner o benefício da dúvida. Não é fácil ser o cruel líder do setor 45.
Na maior parte do tempo, é um saco.
Enfim, Destrua-me conta o ponto de vista de Warner sobre a história de Tahereh Mafi e eu fiquei arrasada de só termos 70 páginas. Estou louca pra ler Liberta-me, mais do que nunca!
Conhecemos os pensamentos mais profundos de Warner e seus verdadeiros sentimentos por Juliette.
"E ainda assim nunca havia experimentado esse sentimento terrível, horrível e paralisante. Me sinto aleijado. Desesperado e fora de controle. E está ficando pior. Todos os dias me sinto doente. Vazio e ferido por dentro. O amor é um cretino perverso e sem coração. Estou ficando louco." - pág. 81
Tem aquela coisa de "amor beirando a loucura", que é como a maioria dos vilões da literatura amam. Ele precisa possui Juliette. Precisa tê-la de volta. E, agora precisa protegê-la do próprio pai.
O Seboso Supremo do Restabelecimento é boçal megalomaníaco. Eu fiquei com uma pulga atrás da orelha do tamanho de uma paca (desculpem se essa frase ficou idiota) com ele. Mas, não falarei das minhas suspeitas nessa resenha.
Tahereh continua escrevendo tão bem que dói. As 70 páginas me pareceram 7. Sou fã e ponto!

PS: Destrua-me é leitura obrigatória para os fãs da série.
E a Novo Conceito sabe disso!
Por esse motivo, a Editora disponibilizou para seus leitores o download gratuito da obra. Isso mesmo!


---------------------------------------------------------------------------------------
No mês de Maio está rolando Top Comentarista! Comentou no post? Então clique nesse selinho e preencha o formulário!

sábado, 4 de maio de 2013

Our Friends #13

Essa é a sessão do blog onde vocês irão encontrar as últimas novidades sobre nossos amigos autores. Para ler notícias anteriores basta entrar na página "autores amigos" onde vai encontrar o link. Siga também nossa lista "Autores Amigos" no twitter! (http://bit.ly/nOBNLy)

Nossa amiga Michelem Fernandes tem um convite especial para os leitores do Rio de Janeiro!



---------------------------------------------------------------------------------------
No mês de Maio está rolando Top Comentarista! Comentou no post? Então clique nesse selinho e preencha o formulário!

O Teorema Katherine ~ John Green

Editora: Intrínseca
Páginas: 304
Gênero: Comédia Romântica
Título original: An Abundance of Katherines
Classificação:
 
Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam. Uma descoberta que vai entrar para a história, vai vingar séculos de injusta vantagem entre Terminantes e Terminados e, enfim, elevará Colin Singleton diretamente ao distinto posto de gênio da humanidade. Também, é claro, vai ajudá-lo a reconquistar sua garota. Ou, pelo menos, é isso o que ele espera.
------------
Quando eu era pequena, gostava de ser "a" diferente.
Colocava lacinhos em minhas meias, ouvia bandas que ninguém conhecia (e quando todo mundo começava a gostar eu deixava de gostar), pesquisava palavras novas no dicionário pra ser única a usá-las, torcia para times rivais. Enfim, eu era do-contra.
Eu ainda continuo um pouquinho assim.
É por esse motivo que, quando me indicaram ler Scott Westerfeld comecei com "Tão Ontem" e não com "Feios". É por isso que quando me indicaram a Jane Austen escolhi ler "Razão e Sensibilidade" e não "Orgulho e Preconceito". Também fui apresentada à Meg Cabot por seu "Ídolo Teen" e não pela série da Princesa Mia. E, é por isso que comecei a ler John Green com "O Teorema Katherine" sem ler "A Culpa é das Estrelas".
Pois é.
Esse papo todo é pra dizer: Cara, que trem bom demais da conta esse livro!
John Green é um gênio. Ele escreve tão maravilhosamente que, mesmo lendo no computador, eu ficava procurando o livro em cada canto que eu me encostava.
Aí pensava: Droga! Não tenho o livro físico! 
E isso aconteceu bastante. Sério.
É um livro com diálogos rápidos, inteligentes e carregados de tanta ironia bacana (nem toda ironia é legal) que você nem sente as páginas passarem. Você simplesmente as devora com os olhos.
"Que fique registrado que foi Colin quem inventou o nome. Os outros chamavam aquilo de “O Alongamento”, mas aí, certa vez, quando estavam prestes a atacá-lo, Colin gritou: “Não façam o Abdominável Homem das Neves comigo!” Foi um nome tão inteligente que pegou."
~ nota de rodapé, capítulo 3
A história gira em torno de Colin Singleton, um garoto prodígio que está sentindo que não é tão inteligente assim, afinal das contas. Como pode um cara tão jovem ter entrado e saído (por ser chutado) de relacionamentos tantas vezes e, ainda mais, só com garotas chamadas Katherine?
Colin está na maior fossa, jogadão no tapete e sentindo pena de si mesmo quando entra em cena seu melhor amigo, o muçulmano Hassan. E não sei qual dos dois amei mais.
"Hassan e Colin permaneceram imóveis e começaram um diálogo acelerado. Hassan:
 — Eu sou um aluno de intercâmbio kuwaitiano; meu pai é um barão do petróleo. Colin fez que não com a cabeça.
 — Óbvio demais. Eu sou espanhol. Refugiado. Meus pais foram assassinados por separatistas bascos.
— Eu não sei se basco é uma coisa ou uma pessoa, e eles também não vão saber, então: não. Tá, eu acabei de chegar aos Estados Unidos vindo de Honduras. Meu nome é Miguel. Meus pais ficaram ricos com plantações de bananas e você é meu guarda-costas porque o sindicato dos trabalhadores dos bananais me quer morto. Colin retrucou de bate-pronto.
— Essa é uma boa ideia, mas você não fala espanhol. Tá, eu fui sequestrado por esquimós no território Yukon… não, essa não cola. Nós somos primos franceses em visita aos Estados Unidos pela primeira vez na vida. Essa é nossa viagem de formatura do ensino médio.
— Isso é meio sem graça, mas estamos sem tempo. Só eu falo inglês? — Hassan perguntou.
— Tá. Pode ser." - pág. 48
Hassan arrasta Colin para uma viagem de carro sem rumo definido para consertar seu coração partido. Depois de irem parar mais longe do que imaginavam eles acabam dando de cara com uma exposição inusitada em uma cidadezinha do interior. Beeeeeem do interior mesmo. Gutshot.
É lá que os garoto conhecem o terceiro, e não menos importante, elemento do grupo. Lindsey.
"Ela saiu de trás do balcão. Baixa. Magra. O rosto mais interessante que bonito.
— Meu nome é Colin Singleton — ele disse para a guia turística/caixa de mercearia.
— Lindsey Lee Wells — ela falou, estendendo a mão pequena, as unhas com um esmalte corde- rosa cintilante descascado.
Ele apertou a mão dela, que então se virou para Hassan.
— Hassan Harbish. Muçulmano sunita. Não terrorista.
— Lindsey Lee Wells. Metodista. Também não." - pág. 31
 Colin decide então provar, por meio de um Teorema, que é possível prever a duração de cada relacionamento romântico existente. Início, meio e fim.
Eu amei tanto o Colin que fiquei com aquela ansiedade do meio para o fim do livro, sem nem saber o final, de que a história não podia acabar naquelas páginas. A história de Colin merecia mais um livro! Mas, não. O final é totalmente satisfatório pra ele. Hassan também é incrível. Um garoto que todo mundo iria querer ter como melhor amigo. Divertido, sem noção, carinhoso (do jeitão dele lá). A Lindsey também é legal. Dei muita risada com as falas dela. E me emocionei com sua capacidade crítica de autoanalise. Sim, temos isso em um livro de comédia. Reflexões sobre a vida, a juventude e o futuro.
É possível ser jovem e saber o que quer. Os jovens dessa história sabem.
Colin que ser importante. Deixar sua marca no mundo. Lindsey quer ter uma vida tranquila. Hassan quer deixar a vida lhe levar, sem levar nada a sério.
Os outros personagens fizeram um pano de fundo muito legal. Hollis, a mãe de Lindsey, é muito louca, mas eu a amei. Os velhotes, a turma de Lindsey, os pais de Colin, os pais de Hassan, as Katherines... todos contribuíram para a história ser tão rica e completa.
Sem dúvida, acaba de substituir minha preferência anterior e se tornando meu livro favorito de 2013.
Eu amei esse livro.
John é um cara simpático e bem humorado. Seus livros são iguais.
Mal posso esperar para ler mais coisas deles, mas não sei se já vou de "A Culpa é das Estrelas" não. Lembre-se que sou do contra! Acho que vou ler "Quem é você, Alasca?" Só pra contrariar ;)
---------------------------------------------------------------------------------------
No mês de Maio está rolando Top Comentarista! Comentou no post? Então clique nesse selinho e preencha o formulário!

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Top Comentarista Maio


Para quem estava com saudade de ter TOP COMENTARISTA por aqui... lá vamos nós!
No mês de Maio vamos premiar o nosso leitor comentador com o livro "Apegados" e um kit de mimos bem legal. Tá afim? Então, comece a comentar!
Os posts válidos para comentário estarão com o selinho de sempre:
Você clica no bichinho e é direcionado para o formulário de participação.
A cada comentário, preencha o formulário para validá-lo.

Regrinhas:
  • Ser seguidor do blog
  • Ter endereço de entrega no Brasil
  • Um comentário por postagem
  • A promoção começa no próximo post com o selinho!

Resumo do Livro:
 "Cada vez mais fazemos uso da pesquisa científica para conquistar melhor qualidade de vida. Sabemos o que devemos ou não comer, conhecemos o tipo de exercício que devemos praticar e por quanto tempo devemos fazê-lo, aprendemos alternativas viáveis para conquistar o sono revigorante... No entanto, nossos relacionamentos amorosos, parte importante de nossa vida, não parecem tão avaliados e estudados. Geralmente temos a sensação de que essa coisa de amor é um assunto da sorte. Mas será possível que a ciência explique por que algumas relações são produtivas e enriquecedoras, enquanto outras nos deixam perturbados e alienados? Pode a ciência explicar como muitos criam vínculos amáveis sem esforço algum, enquanto outros têm que lutar tanto pelo amor? Para o psiquiatra Amir Levine e a psicóloga Rachel Heller, a resposta é um evidente “sim”. Em "Apegados" — livro baseado nas pesquisas da Teoria do Apego, de John Bowlby —, os autores revelam como compreender os mecanismos de afeição que se criam entre os adultos, o que certamente nos ajudará a encontrar e a manter o amor."